Taxas e Impostos cobrados nos investimentos em ações

Taxas e Impostos cobrados nos investimentos em ações

Escrevo este artigo pensando no quão baixo é o número de Pessoas Físicas que investem na bolsa de valores no Brasil, aproximadamente 560.000. Haja vista que o Brasil tem aproximadamente 206 milhões de habitantes, temos apenas 0,27% da população brasileira investindo hoje no mercado de ações. Acredito que este número seja tão baixo devido ao medo e desconhecimento que os brasileiros têm sobre este tipo de investimento. Com base nisso, irei discutir e apresentar, neste artigo, todos os custos e impostos que devem ser pagos quando investimentos em ações, mas antes disso te faço uma pergunta: por acaso você já sentiu receio de investir em ações, por desconhecer os custos que estão envolvidos neste tipo de investimento? Acredito que a resposta seja sim e, por este motivo, venho lhe demonstrar como fazer para começar a investir em ações com o menor custo possível, escolhendo a corretora de valores que melhor atende às suas necessidades, avaliando não só o custo de envio de ordem (compra ou venda de ações), como também a taxa de manutenção da custódia e os serviços oferecidos pelas corretoras, tais como sugestão de carteira de acordo com o perfil, relatórios de análises técnicas e fundamentalistas, cursos, acompanhamentos e estabilidade da plataforma e do home broker.
Abaixo, seguem todos os custos e impostos envolvidos na operação da Bolsa de Valores:

  • Taxa de Corretagem
  • ISS sobre a taxa de Corretagem
  • Taxa de Manutenção da Custódia
  • Taxa sobre o Valor em Custódia
  • Emolumentos e Liquidação
  • Imposto de Renda (IR)

 Taxa de Corretagem

A taxa de corretagem é o valor que o cliente paga à corretora, para a mesma efetuar junto à Bolsa de Valores, as transações de compra e venda de ações. Essa taxa pode ser um valor fixo ou variável (tabela Bovespa) dependendo da política de cada corretora. Geralmente, ela é fixa quando utilizado o home broker e variável quando utilizada a mesa de operações das corretoras. Este é o principal custo para se investir em ações, por isso você deve fazer uma busca aprofundada da corretora que melhor atende às suas necessidades antes de começar a investir, pois esse custo pode onerar e prejudicar o rendimento líquido desejado.
Para que você entenda melhor, demonstro abaixo um exemplo do custo que você terá com a taxa de corretagem, caso escolha uma corretora que cobra conforme a tabela Bovespa.
Imagine que você decidiu comprar 1.300 ações do papel CMIG3, sendo negociada cada ação pelo valor de R$ 7,70. Para isso, você deverá investir R$ 10.010,00 (= 1.300 x 7,70). Agora, vamos ver quanto você deverá pagar de taxa de corretagem para executar esta ordem de compra:

Tabela Bovespa:

IMG2

Como o valor negociado se encontra na última faixa da tabela Bovespa (0,5% + R$ 25,21), você deverá pagar a taxa de corretagem no valor de R$75,26 (=10.010*0,5% + 25,21).
Considerando que a taxa de corretagem é um dos custos mais elevados, relaciono alguns pontos que você deve analisar para escolher a melhor corretora:

Quanto você irá operar na Bolsa de Valores? Serão valores altos ou baixos?

Por exemplo: Imagina que você tem a opção de escolher uma corretora que cobre o valor fixo de R$ 10,00 por ordem de compra ou venda, ou escolher uma que cobre conforme a tabela BOVESPA (corretagem variável). Caso você invista valores acima de R$ 500,67 (ponto no qual a taxa de corretagem variável e fixa de R$ 10,00 se igualam), a melhor escolha será pela corretora que cobra a corretagem fixa, caso contrário a tabela BOVESPA será mais vantajosa.

Quantas operações você fará por mês?

Existem algumas corretoras que deixam de cobrar a taxa de corretagem a partir de um número mínimo de ordens por mês. Essa alternativa é muito interessante para investidores que investem constantemente na Bolsa de Valores.

 ISS sobre a Taxa de Corretagem

Outro custo que deve ser considerado é o ISS (Imposto Sobre Serviço), que incide sobre o valor da Taxa de Corretagem, variando de 2% a 5%, dependendo da cidade em que está localizada a sua corretora. Algumas corretoras não cobram o ISS, pois ele já está inserido no preço da Taxa de Corretagem cobrada e isso deve ser levado em consideração na hora de escolher a sua corretora.
Para que você entenda melhor, vou utilizar o mesmo exemplo acima, no qual você decidiu comprar 1.300 ações do papel CMIG3, negociando cada ação pelo valor de R$ 7,70 e investindo um total de R$ 10.010,00. Lembra que o valor total da Taxa de Corretagem para executar esta ordem de compra foi no valor de R$ 75,26? Então, o valor do ISS, considerando a alíquota de 5%, corresponderá ao valor de R$3,763 (=75,26*5%).

Taxa de Manutenção da Custódia

A Taxa de Manutenção da Custódia representa o serviço de guarda das suas ações e é destinada a cobrir os gastos da corretora junto à Câmara de Ações (antiga CBLC – Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia). Essa taxa é fixa e é cobrada pela corretora mensalmente, podendo ser isenta em algumas corretoras quando se realiza um número mínimo de ordens por mês. Vale lembrar que essa taxa é cobrada apenas se existir ou existiu no mês de referência, ativos em custódia.
Vamos utilizar o mesmo exemplo anterior e vamos imaginar que a corretora que você contratou não te isente da Taxa de Manutenção da Custódia, cobrando mensalmente o valor de R$ 30,00. Nesse caso, além do custo da Taxa de Corretagem e ISS, você também terá de pagar R$30,00 pela manutenção da custódia do seu ativo.

Taxa sobre o Valor em Custódia

A Taxa sobre o Valor em Custódia é cobrada pela BM&FBovespa para efetuar a guarda das suas ações. Ela é variável e é cobrada mensalmente de acordo com as posições em aberto no último dia útil do mês, seguindo a tabela da BM&FBovespa abaixo:

img-blog2

Tabela BM&F Bovespa para cobrança da Taxa do Valor em Custódia

Utilizando o mesmo exemplo anterior, neste caso você não terá que pagar a Taxa sobre o Valor em Custódia, pois você está na faixa de valor que te isenta da cobrança.

Emolumentos e Liquidação

Os Emolumentos e a Taxa de Liquidação são cobrados pelas instituições BM&FBovespa e Câmara de Ações, que executam as negociações das ações e garantem o registro das ordens enviadas pelas corretoras. Ambas são cobradas através de um percentual fixo (vide tabela abaixo) sobre o valor total negociado e variam de acordo com o tipo de operação (Normal e Day Trade).

img-blog3

Continuando com o mesmo exemplo, no qual você terá que investir R$ 10.010,00, e considerando que você vai comprar as ações em um dia e vai vender em outro (operação normal), a taxa total de emolumentos e liquidação que você terá que pagar sobre essa ordem de compra será de R$3,2532 (=10.010*0,0325%).

Imposto de Renda (IR)

O Imposto de Renda é isento para pessoas físicas que vendem ações até R$ 20.000,00 no mês. Caso você venda ações por operações normais (compra e venda em dias diferentes) e estas somem valores superiores aos R$ 20.000,00 no mês, será cobrado 15% de IR sobre o lucro auferido menos os custos. Caso você faça alguma operação Day Trade (compra e venda no mesmo dia), será cobrado 20% de IR sobre o lucro auferido menos os custos nesta operação, independentemente do valor da venda.

Sempre que você realizar operações que estão sujeitas a cobrança do IR, a sua corretora reterá na fonte (IRRF) o equivalente à 0,005% do valor total das vendas, sinalizando à Receita Federal que você deve pagar o IR restante através da emissão da DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais), indicando o código 6015. O IR é apurado em períodos mensais e deve ser pago até o último dia útil do mês subsequente ao da apuração.

Vamos voltar ao exemplo que estamos utilizando, onde foi investido o valor de R$ 10.010,00. Imagine que você irá vender todas as suas ações (1.300) pelo valor unitário de 15,00 cada, neste caso você irá efetuar a venda no valor total de R$ 19.500,00. Mesmo você tendo lucrado R$ 9.490,00 (19.500 – 10.010), você não terá que pagar IR, pois o valor total da venda não ultrapassou R$ 20.000,00.

Aproveito para demonstrar abaixo todos os custos que seriam cobrados no exemplo discutido durante o artigo:

img-blog4

Obs. Considerando Corretagem variável cobrada pela tabela Bovespa.

Considerando tudo o que foi dito, antes de iniciar o investimento em ações é importante você conhecer todos os custos envolvidos e como esses são cobrados, para evitar que eles “corroam” o rendimento do seu investimento. Uma dica que eu dou para você saber o quanto cada operação te dará de lucro ou prejuízo, é fazer o acompanhamento dos seus investimentos utilizando uma planilha de controle. Veja através deste link uma planilha que faz todos os cálculos destes custos, demonstrando o quanto cada ativo lhe garante de rentabilidade bruta e líquida, além de atualizar a cotação de todos os ativos listados na bolsa de valores (com atraso de 15 minutos).

img-blog-6

Muito obrigado!!! Aguardo você no próximo artigo.

6 Comentários

  1. Rachel disse:

    Excelente artigo! Muito bem explicado, com exemplos práticos e elucidativos.

  2. Cida disse:

    Excelente artigo, clareza nas colocações das idéias!

  3. Cléber disse:

    Muito claro e objetivo o artigo! Me ajudou a entender como funciona a cobrança de todas as taxas e impostos para investimentos em ações. Comprei a planilha para me ajudar no controle dos investimentos que tenho em ações… e achei ela muito fácil de usar, me dando todas as informações necessárias para eu tomar decisões! obrigado

    • Eduardo Baptista disse:

      Obrigado pelo feedback Cléber! Muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre quais e como são cobradas as taxas e impostos neste tipo de investimento… Que bom que você também gostou da planilha de controle de investimentos em ações da Promova! Bons investimentos!

  4. Marcos disse:

    Muito bom o artigo, eu que estou começando a estudar o assunto, achei muito interessante simples e direto. Parabens.

    • Eduardo Baptista disse:

      Obrigado Marcos! Esse tipo de investimento provoca muita dúvida e bloqueio em alguns investidores e é por este motivo que escrevi este artigo para esclarecer como funciona o mercado de investimentos em ações.

      Abraços

Faça uma pergunta ou comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Rodrigo Dantas Marcos Goes Prof. Dr. Patrick Schmidt
  • A planilha de investimentos em ações da Promova me deu uma incrível agilidade e controle absoluto sobre meus ativos que antes não tinha. Ela faz parte de todas as minhas operações agora, não tem como ficar sem.
    Rodrigo Dantas
    Bravo Digital
  • Excelente curso Eduardo, bem didático, com vários exemplos práticos e muito bem apresentados. Com este curso agora consigo utilizar o Excel em um patamar bem mais elevado, explorar diversos recursos e funções que facilitam as tarefas e reduzem o tempo de trabalho.
    Marcos Goes
    Engenheiro Eletricista
  • O trabalho da Promova foi fantástico. Eu uso muitas planilhas em Excel, e acreditava que elas funcionavam bem para minhas atividades. Porém, a otimização de procedimentos e relatórios permitiu maior agilidade, reduziu muito a chance de erros e me permitiu ganhar mais de meia hora na minha rotina de trabalho. Entenderam minha necessidade e me deram um retorno bastante rápido e profissional. Recomendo!
    Prof. Dr. Patrick Schmidt
    Coordenador do Centro de Pesquisas em Forragicultura - Universidade Federal do Paraná

Dúvidas? Conte com a gente!
(19) 2519-8840